PRINCE2 Agile – Papéis

20 de maio de 2017 Array ernani

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinrssyoutubetumblr

PRINCE2 Agile™ - Papéis

 

INTRODUÇÃO

Esse breve artigo tem como objetivo dar-lhe um singela apresentação sobre os papéis e responsabilidades em um projeto com PRINCE2 Agile.

 

PRINCÍPIOS PRINCE2

Um dos princípios do PRINCE2 é a existência de Papéis e Responsabilidades bem definidos (terceiro princípio). Isso permitirá clareza, não apenas no aspecto do "quem irá fazer o quê", mas também dá clareza em relação a "quem RESPONDE" pelo que; e isso se alinha às abordagens ágeis que também incluem clareza em relação aos Papéis e Responsabilidades, porém não há clareza em relação à responsabilização.

Outro princípio importante do PRINCE2 é o tailoring, o que significa que existe a necessidade de efetuar adaptações à metodologia que é empregada na empresa para as necessidades do projeto. Isso significa, também, que você também deverá efetuar adaptações nos papéis e responsabilidades. Porém a responsabilização específica sempre deverá existir (exemplo: alguém deverá ser responsabilizado, claramente, pelo sucesso e pelo fracasso do projeto).

 

O LIVRO PRINCE2 AGILE

No livro PRINCE2 Agile da AXELOS [1] não há um direcionamento único, ou direto, para a atribuição das responsabilidades em um ambiente ágil, mas fornece algumas possibilidades de estruturação de equipe (trata-se inclusive de um alinhamento ao sétimo princípio do PRINCE2 - adequar ao ambiente do projeto).

Uma das discussões recorrentes em grupos de discussão é a existência, ou não, do Gerente de Projetos num ambiente ágil e limites de responsabilidade.

No PRINCE2 Agile a figura do Gerente de Projetos (GP), assim como do Gerente de Equipe Especialista (GEE), continuam presentes, porém com adaptações em suas atribuições. Isso porque entende-se como sendo importante sua participação e suas atribuições como por exemplo a interface com o Comitê Diretor do Projeto, ou Gerente de Programa para o caso do Projeto estar sob a tutela de um Programa. É deixado claro, porém, a necessidade do Gerente do Projeto e do Gerente de Equipe Especialista em compreender a forma de se trabalhar em um ambiente ágil. Isso pode não ser muito agradável para os agilistas mais ortodoxos.

O Gerente de Equipe Especialista, muitas vezes, pode fazer o papel do SCRUM MASTER. Em um projeto pequeno e que o GP domina o ambiente técnico, ele pode fazer o papel do Gerente de Equipe Especialista, e também pode fazer o papel de SCRUM MASTER.

Novamente, não há um direcionamento único ou alguma imposição do tipo: tem que ser assim e pronto! O princípio tailoring precisa existir.

A figura 1 mostra como seria uma situação desejável, enquanto a figura 2 mostra uma configuração possível.

 

Figura 1 - Configuração desejável -       Figura 2 - Configuração possível - Fonte PRINCE2 Agile

 

O livro PRINCE2 Agile fornece também papéis genéricos que podem ser utilizados, se necessário:

  • Customer Subject Matter Expert (CSME);
  • Customer Representative (CR, que geralmente está fora da equipe de entrega);
  • Supplier Subject Matter Expert (SSME);
  • Supplier Representative (SR, que geralmente está fora da equipe de entrega);
  • Delivery Team Quality Assurance (QA)

 

Esses papéis genéricos foram definidos por que, na prática, eles existem de fato em muitos projetos, porém sem uma clareza em sua abrangência de responsabilidade e responsabilização. Dessa forma, o livro acaba dando clareza para o caso de uma organização achar interessante utilizá-los.

A figura 3 apresenta a possível estruturação com apenas uma equipe, enquanto a figura 4 apresenta a possível estruturação com diversas equipes. Note que as equipes não, necessariamente, devem ser dedicadas a um único projeto. Assim, possibilita uma melhor estruturação da equipe de acordo com a necessidade organizacional.

 

Figura 3 - equipe única                                  figura 4 - equipe múltipla - fonte PRINCE2 Agile

CONCLUSÃO

O livro PRINCE2 Agile enfatiza a necessidade das equipes conhecerem a forma ágil de se trabalhar, reafirma os princípios fundamentais do PRINCE2 e dá clareza em diversas possibilidades de estruturar uma equipe PRINCE2 em um ambiente ágil de trabalho. Reafirma a necessidade da existência do papel do Gerente de Projetos e como seria as diversas possibilidades de configuração dado diversos tipos de projetos.

 

(SAIBA MAIS SOBRE PRINCE2 AGILE)

(SAIBA MAIS SOBRE O LIVRO DE CERTIFICAÇÃO PRINCE2 FOUNDATION)

Compre Agora

Livro preparatório para certificação PRINCE2 foundation: Compre agora seu livro Preparatorio para Certificação PRINCE2 foundation

Exame: Compre agora seu EXAME PRINCE2 Foundation

eLearning Exame: Compre agora seu curso eLearning PRINCE2 Foundation

Livro oficial do PRINCE2: Compre agora seu livro oficial PRINCE2

 

Video sobre PRINCE2 AGILE

 

[1] AXELOS é a empresa de joint venture, criada pelo Gabinete do Governo em nome do Governo de Sua Majestade (HMG) no Reino Unido e Capita PLC para executar o portfólio Melhor Prática Global, Axelos possui um currículo invejável e já uma carteira de produtos entre os quais ITIL, PRINCE2, MSP, MoR, MoP, P3O etc.

PRINCE2, PRINCE2 Agile, MoP, MSP, M_o_R, MoV, P3O, ITI são marcas comerciais registradas de AXELOS Limited, usadas sob a permissão da AXELOS Limited. Todos os direitos reservados.

O Swirl logo™ é uma marca comercial de AXELOS Limited

 

 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

Posts Relacionados

Deixe uma resposta