PRINCE2® e o Governo Americano – case de sucesso

23 de agosto de 2018 Array ATHEM

PRINCE2 e o Governo Americano é um documento sobre a adoção do PRINCE2 pelo Governo Americano para seus projetos

PRINCE2 e o Governo Americano

 

Quando se houve algo sobre PRINCE2, ao menos para as pessoas que conhecem algo sobre o assunto; pensa-se logo em projetos do Governo Britânico e as Olimpíadas de Londres.

Poucos sabem que o PRINCE2 é utilizado em +150 países, inclusive no Governo Americano.

 

Abstract

Este documento (em inglês) mostra como o método de gerenciamento de projetos PRINCE2® apóia os gerentes de projeto do PRINCE2_e_o_Governo_Americano_Gerenciamento_de_Projetosgoverno federal dos EUA à medida que eles entregam investimentos em TI enquanto satisfazem os requisitos da Clinger-Cohen Act e do Capital Planning and Investment Control.

O CCA

Desde a promulgação da Lei Clinger-Cohen (CCA) em 1996 o governo federal dos EUA exige que suas agências melhorem sua gestão, supervisão e controle de investimentos em tecnologia da informação.

O CPIC

Central para o CCA é uma obrigação das agências de selecionar, controlar e avaliar seu portfólio de projetos de TI de acordo com os princípios de Planejamento de Capital e Controle de Investimentos (CPIC), uma abordagem de gerenciamento de investimentos de TI referenciada no CCA.

O PRINCE2

No mesmo ano em que o CCA foi assinado, o governo do Reino Unido lançou o PRINCE2; um método de gerenciamento de projetos baseado em princípios e temas, projetado para fornecer orientação e supervisão de projetos do governo / contratados. Saiba mais sobre o PRINCE2

Os gerentes de projeto podem achar difícil atender aos requisitos do CPIC durante a execução de um projeto. Guia de gerenciamento de projetos líder da indústria sugere uma abordagem; os fornecedores têm outra. E os grupos de supervisão de investimento reforçam os requisitos adicionais da CCA para a equipe do projeto.

 

Planejamento de Capital e Controle de Investimentos

A Lei de Reforma da Gestão da Tecnologia da Informação de 1996, comumente chamada de CCA, exige que as agências federais dos EUA “identifiquem e coletem informações sobre as melhores práticas” para gerenciar projetos relacionados à TI.

O CCA identifica a abordagem do governo para a gestão de investimentos em tecnologia da informação, como o Planejamento de Capital e o Controle de Investimentos (CPIC). Especificamente, o CCA, através da supervisão do Escritório de Administração e Orçamento (OMB) do Presidente, exige que cada agência institua processos de planejamento de capital eficazes e eficientes para selecionar, controlar e avaliar seus investimentos em projetos de TI.

Esses projetos representam o investimento estratégico em ativos de capital que define o portfólio de TI de uma agência.

 

Seleção, Controle e Avaliação

Durante a seleção, a agência determina as prioridades de investimento de acordo com suas necessidades. Então decide sobre quais iniciativas serão financiadas para o próximo período.

A fase de seleção determina quais projetos devem ser incluídos no portfólio de TI da agência para o próximo ano. Então os Projetos identificados como significativos para a missão devem incluir um Business Case que suporte o processo de seleção do portfólio.

 

Os desafios do CPIC

A interpretação do CCA e do CPIC levou a soluções conflitantes e, portanto, competitivas para satisfazer seus diversos requisitos.

O OMB mantém a Circular de Apoio A-11, então contém os requisitos das agências como um alvo em movimento.

 

Encontrando uma solução para CPIC

Os gerentes de projeto buscaram um modelo de governança para suportar as necessidades dos projetos e requisitos de investimentos CPIC.

Embora o Guide to the Project Management Body of Knowledge®  do PMI esteja claro na identificação de ferramentas e técnicas para executar atividades de gerenciamento de projetos, é por sua própria admissão "um guia em vez de uma metodologia" e não foi projetado para atender aos requisitos de conformidade. como aqueles definidos pela CCA.

Para operar um projeto de forma que atenda às necessidades da CPIC, os gerentes de projeto devem utilizar um método que suporte a sustentação de um Business Case de investimento; identifica claramente um processo de governança e presta-se a revisões regulares para decisões “Go / No-Go”; conforme exigido pelos ciclos orçamentários de gerenciamento de investimentos do governo dos EUA.

 

Quer ler na íntegra, baixe o White Paper em Inglês - PRINCE2_e_o_Governo_Americano_P2_US_Federal_White_Paper

 

Autor:  Richard Tucker, PMP

Publicação do With Paper: setembro de 2015

Publicação blog: 23 de agosto de 2018

Fonte: https://www.axelos.com/content-hub
Fonte: https://www.axelos.com/case-studies-and-white-papers/using-prince2-to-manage-us-federal-it-projects

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail