PRINCE2 Agile | Agilometer

30 de junho de 2018 Array ATHEM

PRINCE2 Agile | Agilometer

Você já ouviu falar sobre Agilometer? Se você trabalha com métodos ou frameworks ágeis talvez já conheça ou tenha ouvido falar mas se já estudo o método Prince2 Agile®, com certeza conhece o Agilometer.

Agilometer é uma das 5 áreas de foco do método (PRINCE2 Agile®), e é utilizado para avaliar o ambiente ágil do projeto e fazer os ajustes e tomar ações que sejam pertinentes a tornar o ambiente saudável na condução do projeto de forma ágil.

O Agilometer também pode ser visto como uma valiosa e vantajosa ferramenta na avaliação durante um pré projeto, como descreve o Prince2 Agile® no processo Initiating a Project (IP) ou numa fase inicial de um um outro método ou framework. Dependendo do resultado da avaliação, a utilização do Ágil não seja a forma mais adequada para a condução do projeto, e forçando a utilização poderá estar gerando um caos no projeto. Pode ser que seja mais adequado utilizar uma versão tradicional ou híbrida, como é o Prince2 Agile®.

A utilização do Agilometer dever ser no início do projeto ou pré projeto e também ao longo do projeto, para que as seis áreas do Agilometer sejam monitoradas e as ações sejam tomadas em caso surja alguma área de risco.

Também auxiliará o Gerente de Projeto a responder a questão: “quanto ágil podemos ser no projeto?”

Na figura abaixo consta o Agilometer traduzida para o português e que a sua versão original consta no Manual oficial do Prince2 Agile® no capítulo 24 na página 214.

"Figura

Figura 1 – Agilometer – adaptado do Manual Prince2 Agile® para o português.

Após a utilização do Agilometer para fazer a avaliação, o próximo passo seria verificar as ações para melhorar o nível em cada uma das 6 áreas do Agilometer. Passando do nível 1 para o 5.

AS ÁREAS DO AGILOMETER

Vejamos abaixo alguns exemplos para cada uma das seis áreas:

Flexibilidade no que é entregue

O cliente pode não perceber o por que há necessidade de ser flexível com o que é entregue. Ações: treinamento e orientações podem ser apropriados.

Existem muitos requisitos de projetos que estão como obrigatórios. Ações: os requisitos podem ser desafiados para avaliar se são realmente de fato prioridade alta.

Nível do Colaboração

Manter o time junto e quebrar qualquer tipo de barreira. Investigar as razões pela qual as pessoas estão relutantes em colaborar. Alguma frustração no passado? Intimidado por alguém com poder na organização?

Facilidade de Comunicação

Elimine quaisquer lacunas físicas organizando visitas por um dia ou uma semana. Faço uso de vídeo-conferências e planeje fusos horários alternativos. Co-localize as equipes. aperfeiçoar o uso de soluções táteis e de baixa tecnologia na apresentação das informações. Capacidade de trabalhar de forma iterativa e integrar incrementalmente

Desafiar o time do projeto a pensar em entregas parciais e que serão de uso e úteis de alguma forma para o cliente. O que poderia fazer parte da primeira release? Tentar calcular o valor da entrega algo mais cedo. Condições ambientais vantajosas

Novas ferramentas ajudariam? Você pode fazer mais para proteger a equipe de distúrbios externos? Treinamento ajudaria? Os comerciais podem ser ajustados para serem alinharem mais com a maneira ágil de trabalhar? Os terceiros precisam de conscientização sobre a seu papel no projeto utilizando ágil? Você pode usufruir da experiência de outras pessoas? Aceitação de Ágil

Treinamento ajudaria? Uma abordagem de workshop informal superaria o linguajar? Você pode auxiliar pessoas com informações úteis sobre seus conhecimentos e experiência sobre agilidade? Você pode engajar pessoas chaves para ajudar a explicar agilidade para as principais partes interessadas? Deixar claro para as principais partes interessadas quais os principais benefícios para eles. DEFINIÇÃO DAS ÁREAS DO AGILOMETER NO NÍVEL 5

Flexibilidade no que é entregue

As partes interessadas estão muito confortáveis com o fato de que a mudança é inevitável e precisa acontecer para convergir em um produto preciso. Eles também estão muito confortáveis com o papel que precisam priorizar o trabalho, e eles entendem que o escopo do trabalho e os critérios de qualidade são sendo flexionado para proteger o nível de qualidade e o prazo para o que está sendo entregue.

Nível do Colaboração

Há um nível muito alto de colaboração entre todas as partes envolvidas. Isso é tipificado por uma cultura de “somos um time” e excelentes relações de trabalho interna e externamente. Altos níveis de confiança existe e um desejo de ser útil é prevalente.

Facilidade de Comunicação

A comunicação é muito fácil entre todas as partes envolvidas. O ambiente é “rico em comunicação”, onde há muita interação cara a cara, e a informação visual está prontamente disponível em formas como protótipos e modelos. A recuperação de informações também é fácil para referenciar o conhecimento, informações ou dados históricos ou atuais.

Capacidade de trabalhar de forma iterativa e integrar incrementalmente

É muito fácil oferecer benefícios ao cliente através de entregas parciais regulares da versão final de produtos. Também é muito fácil trabalhar de forma iterativa, no sentido de que os produtos e a compreensão podem ser refinados interativamente pela entrega frequente de entregas formais e informais. Há um desejo de aprender experimentar e explorar (e falhar!), bem como um sentimento abrangente de “pensar grande; Comece pequeno”.

Condições ambientais vantajosas

O ambiente geral de trabalho é muito favorável ao trabalho de forma ágil. O pessoal é designado em tempo integral ao seu trabalho; eles são apropriadamente habilidosos; eles possuem plataformas eficientes para trabalhar (por exemplo, ferramentas, comunicações). Estruturas contratuais e conformidade considerações não são consideradas restritivas.

Aceitação de Ágil

Todos os envolvidos de perto estão plenamente cientes dos comportamentos, conceitos e técnicas de trabalho ágil. Eles foram treinados e têm experiência. Eles não são apenas felizes de trabalhar dessa maneira, mas eles preferem e entendem as vantagens que ela traz. Partes interessadas periféricas também estão cientes da necessidade de desempenhar suas funções de maneira “ágil e amigável”.

MAIS SOBRE O AGILOMETER 

O Agilometer também pode ter adaptações e se jugar necessário suprimir ou adicionar áreas, também é possível. É flexível.

E caso queira fazer uma mutação do Agilometer para um terminado projeto seja ágil ou não, também pode fazer como uma ferramenta de avaliação. Mas não o chame de Agilometer, de outro nome, do contrário não fará conexão com o que pregará.

 

Autor: Luiz Guilherme Carvalho, MBA, PMP®, PRINCE2®, PRINCE2 AGILE®, PRINCE2 AGILE TRAINER®, MPT®, C31000®, PMI-RMP®, M_o_R®, CSM®

Dono e Fundador do Blog Gerenciando Riscos em Projeto.

Site: http://www.gerenciandoriscosemprojetos.com

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/luizguilhermecarvalho/

Fanpage: http://www.facebook.com/gerenciandoriscosemprojetos

Instagram: @ger_riscos_proj

Twitter: @Ger_Riscos_Proj

OUTROS LINKS

Categoria:Gerenciamento de projetos

PRINCE2, PRINCE2 Agile, MoP, MSP, M_o_R, MoV, P3O, ITIL são marcas comerciais registradas de AXELOS Limited, usadas sob a permissão da AXELOS Limited. Todos os direitos reservados. | O Swirl logo é uma marca comercial de AXELOS Limited.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail